Posts Tagged 'Wim Wenders'

34ª Mostra Internacional de Cinema de SP!

Começa hoje a 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o mais tradicional evento de cinefilia do país. Até o dia 4 de novembro serão exibidos mais de 400 filmes entre nacionais e estrangeiros dos mais diferentes países.

 

É, para muitos, a oportunidade única para ver raros e bons filmes asiáticos, europeus, latinos, ou ainda rever obras de autores consagrados através das “retrospectivas”,  alem de claro, ver antes de todo mundo os filmes premiados nos grandes festivais de cinema como Cannes, Veneza, Berlim. Este ano teremos muita coisa interessante por aqui.

A abertura oficial do evento aconteceu na noite de ontem, dia 21, no Auditório Ibirapuera, em sessão especial para convidados do filme “O Estranho Caso de Angélica”, de Manoel de Oliveira. O cineasta português, 101, o mais velho em atividade, não pode comparecer à festa da Mostra, pois recupera-se de uma cirurgia feita para a troca do marca-passo, no entanto passa bem e prometeu vir ao Brasil assim que possível. Em seu lugar, compareceram os atores Ricardo Trêpa e Ana Maria Magalhães.

Quem também esteve presente na festa foi o cineasta Wim Wenders. É ele quem assina um dos cartazes desta edição da Mostra. Alem disso, os filmes de Wenders serão exibidos em uma das retrospectivas (com destaque para “Até o Fim do Mundo”, em nova versão, com 5 horas de duração, uma vez que continuou sendo editada pelo diretor mesmo após seu lançamento, em 1991).

Quem não estiver muito convencido com o cartaz do Wenders, algo meio “Paris, Texas”, pode optar por um segundo cartaz. Este outro traz uma ilustração do mestre do cinema japonês, Akira Kurosawa (1910-1998).

Um momento que promete ser histórico nesta Mostra será a sessão dedicada a versão restaurada do clássico “Metropolis”, de Fritz Lang, no dia 24/10, às 20hs. Exibido ao ar livre, na parte externa do Auditório Ibirapuera, o filme contará com acompanhamento da Orquestra Jazz Sinfônica, que executará a trilha original de Gottfried Huppertz.

Assim como no ano passado, este ano também será possível assistir on line a alguns filmes da mostra, gratuitamente. A seleção é composta por 68 títulos, no entanto, há um número restrito de acessos (não é necessário fazer downloads). No site da mostra há a lista dos filmes que serão exibidos e o limite de acessos.

A novidade dessa Mostra fica por conta dos bicicletários instalados em diversas salas de exibição. Para utilização de bicicletas é necessário fazer um cadastro, com apresentação de um documento com foto, comprovante de residência e/ou estadia (em caso de turista/estrangeiro), alem da apresentação de um cartão de crédito com saldo mínimo de R$ 350. Aos que possuem credencial da Mostra, basta apenas apresentar documento com foto.

A primeira hora de empréstimo é gratuita e as demais custam R$ 10/hora. A ideia é boa, vamos ver se pega!

O Le Champo estará na Mostra e compartilhará diariamente com o leitor parte da experiência de ver, sentir e pensar o cinema contemporâneo. Aqui no blog, resenhas, notícias, entrevistas. No twitter (@lechampo) notas, comentários, reclamações, novidades etc.

À bientôt!

32ª Mostra – Crítica: “Palermo Shooting”

Pode-se dizer que, assim como a vida a morte é tema recorrente no cinema. Pudera, ela é a nossa única certeza e faz parte do cotidiano como muitas outras coisas mais singelas. O que muda, porém, é a forma como estes assuntos serão abordados.

O novo longa de Wim Wenders mostra que ainda é possível explorar a morte com criatividade, sem deixar de lado as referências do passado.

“Palermo Shooting” conta a história de Finn, fotógrafo alemão reconhecido mundialmente e que vive uma vida de excessos – de trabalho, de baladas, de música, de aventuras. A necessidade de repensar sua carreira artística acaba levando Finn à Palermo, Itália. Lá ele passa a ser alvo de um estranho sujeito cuja mira de seu arco está sempre apontada na direção de Finn. É lá também que o fotógrafo encontra Flavia, personagem fundamental na caçada de Finn a este estranho sujeito.

Vida e morte, tudo é a mesma coisa. Uma é a continuação da outra, como um círculo vicioso… E Wenders explora isso com uma naturalidade, humor e delicadeza ímpar. E as homenagens à Ingmar Bergman e MIchelângelo Antonioni fazem (ou pelo menos ME fizeram) chorar…

Uma frase para “Palermo Shooting”: A morte está no divã… converse com ela!

Avaliação Le Champo: Excelente!

Sabatinando Wim Wenders

E depois da histeria provocada por David Lynch há poucas semanas numa livraria paulistana, agora é a vez de Wim Wenders enlouquecer os cinéfilos paulistanos.

O evento é a já tradicional Sabatina da Folha, promovida pelo jornal A Folha de São Paulo, cuja próxima edição acontecerá nesta sexta-feira (dia 22/08) às 16hs no Masp (av. Paulista,  1.578) com o cineasta alemão Wim Wenders.

Wenders, responsável por pérolas como “Paris, Texas” (1984), “As Asas do Desejo” (1987), ou ainda por chatices como “O Hotel de Um Milhão de Dólares” (2000) e que neste momento dirige “The Palermo Shooting”, veio ao Brasil para participar do seminário Fronteiras Braskem do Pensamento, em Porto Alegre e em Salvador.

Para se inscrever na sabatina é preciso, antes de tudo, ser assinante Folha. Se este é seu caso, você deve ligar para o (sempre ocupado) (11) 3224-3698, entre 14hs e 19hs ou enviar email para eventofolha@folhasp.com.br, informando nome completo, RG, código de assinante e telefone.

Ah, e claro, boa sorte!

O cineasta alemão Wim Wenders

Amos Gitaï receberá prêmio no Festival de Locarno

O diretor israelense Amos Gitaï, 57, será premiado com o Leopardo de Honra do 61º Festival de Cinema de Locarno, na Suiça. Durante o evento, que acontecerá entre 6 e 16 de agosto, serão exibidos os filmes de Gitaï.

Entre os cineastas que já receberam a mais alta honraria do Festival de Locarno – prêmio atribuído à carreira de um autor – estão Jean Luc Godard, Bernardo Bertolucci, Wim Wenders, Manoel de Oliveira, Alexander Sokurov,Hou Hsiao-Hsien (em 2007), entre outros.

Segundo o diretor artístico do festival, Frederic Maire, “Amos Gitaï ocupa um lugar muito especial no cinema contemporâneo. Cada um dos seus filmes nos faz confrontar a infinita complexidade do real. Gitaï é,  sobretudo, um espírito livre e democrático, para quem o cinema é, em primeiro lugar, a expressão de um olhar crítico sobre o mundo”.

Indicado quatro vezes a Palma de Ouro, e autor de mais de 40 longas-metragens, entre documentários e obras de ficção, o cineasta é conhecido no Brasil por filmes como “Kadosh” (1999), “Alila” (2003) e “Free Zone” (2005). O filme “A Retirada”, acabou de estrear na França, enquanto que sua mais recente obra “One Day, You Will Understand” (Plus tard, tu comprendras, 2008), protagonizado por Jeanne Moreau, foi apresentado no início deste ano em Berlim.

O cineasta Amos Gitaï
O cineasta Amos Gitaï