Posts Tagged 'festivais'

“Crítica cega” ou “o público que enxerga demais”???

Claude Lelouch já disse, certa vez, que não existe qualquer outro crítico além do público.

Se tomarmos as palavras do cineasta francês como verdadeiras, “Ensaio sobre a cegueira” promete ser sucesso. Ontem, após a sua exibição, na abertura do Festival de Cannes, longa-metragem e equipe foram ovacionados por quase cinco minutos ininterruptos!

No entanto, se crítica e público forem coisas distintas, o futuro do filme é incerto. Antes da sessão oficial, “Ensaio” teve uma première exclusiva para a imprensa. E o resultado não foi animador.

Amir Labaki, articulista da Folha de S.Paulo, acusa o filme de ter “reverência demais” (Folha S.Paulo de hoje); James Christopher, crítico do britânico The Times foi mais longe ao considerar esta “a abertura mais deprimente para um festival internacional” e diz que “‘Ensaio’ não vai obter fãs. Mas muitos admiradores entricheirados” (do site BBC Brasil).

Para o jornal argentino La Nación, o filme foi recebido com “muita frieza”; Lembrando que a Argentina deve apresentar nove produções nesta edição do Festival.

A briga é boa! O jeito será esperar e conferir nós mesmos para saber se Lelouch está ou não com a razão…

O cineasta Fernando Meirelles entre os atores do seu polêmico longa

 

Três chances!

Então, eu comentei que o recente longa do cineasta Fernando Meirelles, “Ensaio sobre a cegueira” (Blindness), irá abrir o 61º Festival de Cannes.

E também comentei que o filme concorre à Palma de Ouro, certo?

O que eu não contei ainda é que além deste, outros 2 filmes brasileiros concorrem no festival.

O “rival” de Meirelles pela Palma de Ouro é “Linha de Passe”, de Walter Salles e Daniela Thomas.

E o bom da história é que ambos encantaram Thierry Frémaux, diretor-artístico do festival e o responsável pela escolha dos competidores.

Enquanto “Ensaio sobre a cegueira” traz elenco estrelado (Julianne Moore e Mark Ruffalo nos papéis principais) e tem seu roteiro conhecido, já que foi baseado na obra homônima do autor português José Saramago, o longa de Walter Salles se destaca por oferecer um novo olhar sobre as diferenças sociais do Brasil, sem a violência típica dos filmes daqui.

Com exibição prevista para sábado, “Linha de Passe” conta a história de um jovem craque do futebol, morador da periferia paulistana e que vê no esporte meios de ajudar sua família, enquanto seus irmãos buscam seus próprios caminhos.

Na não menos importante mostra “Um certo Olhar”, quem concorre é “A Festa da Menina Morta”, de Matheus Nachtergaele, estreante na direção. A exibição do filme será na próxima quarta-feira.

Além de poder ganhar o prêmio de melhor filme da mostra, Nachtergaele concorre à Cámera D’Or, prêmio de melhor longa de estréia!

Os vencedores em cada competição serão divulgados no dia 25 de maio.

  

Acima, Julianne Moore e Mark Ruffalo no filme de Fernando Meirelles; em seguida, Daniel de Oliveira em “Festa da Menina Morta”, de Matheus Nachtergaele

É Hoje!

Começa hoje o mais importante festival de cinema do mundo: o Festival de Cannes!

Até o dia 25, tudo o que foi ou será visto e tudo o que há de mais expressivo no cinema mundial será exibido dentro das várias categorias que divide o Festival.

Os números de Cannes são expressivos: são 57 longas-metragens representando 31 países; entre as obras selecionadas, 22 disputam a cobiçadíssima Palma de Ouro e outras 20 concorrem dentro da mostra paralela “Um certo olhar” (un certain regard).

Dentre os 26 curtas-metragens selecionados, 9 integram a competição principal e 17 a sessão Cinéfondation.

Há ainda 14 filmes escalados em mostras paralelas não-competitivas, além do tradicional Cannes Classics, Sessões da Meia-Noite, retrospectivas e homenagens.

Os temas vão de terrorismo às mudanças econômicas na China.

Ter um filme exibido em Cannes não é nada fácil. Neste ano, quase 2.000 longas se submeteram à seleção do festival.

Segundo relato de Thierry Frémaux, diretor-artístico do Festival de Cannes, à Folha de S.Paulo, “o festival leva em conta, muito mais do que os assuntos de que tratam os filmes”.

Ou seja, o “savoir-faire” que tanto se fala é fundamental para a sua escolha e é o que diferencia Cannes de outros festivais ou premiações.

A abertura do Festival está marcada para a noite de hoje, com a exibição de “Ensaio sobre a Cegueira” (Blindness) de Fernando Meirelles, em sessão de gala, filme este que integra a Competição pela Palma de Ouro.

O “onírico” cineasta David Lynch é o responsável pela bela imagem do cartaz do 61º Festival de Cannes