Tarantino e Resnais apresentam seus filmes no 8º dia do Festival de Cannes

Ontem foi a vez de Quentin Tarantino e Alain Resnais apresentarem seus filmes, ambos concorrentes à Palma de Ouro do Festival de Cannes.

Tarantino mostrou o seu (já bastante) comentado “Inglourious Basterds” (EUA), que conta a história de um grupo militar formado por soldados judeus norte-americanos que decidem empreender vingança contra oficiais do Terceiro Reich, ao mesmo tempo que uma sobrevivente do Holocausto tenta castigar os assassinos de sua família. O líder do grupo militar é o tenente Aldo Reiner, interpretado pelo ator Brad Pitt, maior destaque desta produção. Pitt, que aparece de cabelos escuros, adotou um sotaque rural e  caprichou no “ar impedoso” do ten.Reiner, que exige o escalpo dos inimigos nazistas. Dá uma olhada no trailer:

No mais, “Inglourious” é o típico filme de Tarantino. Muita violência, cenas sanguinárias (sobretudo as de escalpamento!), trilha sonora perfeita (outra marca de Tarantino),etc. O diferencial deste filme é justamente a temática –  é um filme de guerra e mais ainda, sobre a Segunda Guerra Mundial. A história se situa entre 1941 e 1944. 

inglorious_bastards

Depois da première dedicada aos jornalistas, Quentin Tarantino afirmou ser este filme o seu “Monte Everest”. De fato, trata-se de uma guinada na carreira européia do diretor, como bem salientou a Ilustrada de hoje. Fazem parte do longa atores de diversas nacionalidades, cada um falando sua língua e apenas um, o ator Christoph Waltz no papel do carrasco nazista Hans Landa, dominando todas elas.

Segundo Tarantino, “não é despropositado considerar (este filme) um sonho de vingança judaica”, porém, o elemento central de “Inglourious Basterds” é outro: “meus personagens mudam o curso da guerra”, declarou. Aqui, a  atriz Mélanie Laurent, Quentin Tarantino, Diane Kruger  e Brad Pitt, durante coletiva de Imprensa em Cannes. A imagem é do site do Festival de Cannes:

tarantino_pitt_cannes

Outro destaque do 8º dia do Festival de Cannes foi a première de “Les Herbes Folles“, do aclamado diretor Alain Resnais. Como já comentado neste Le Champo, no aniversário de 50 anos de seu clássico “Hiroshima, Meu Amor”, concorrente à Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1959, Resnais apresentou ontem o que poderia ser considerado por alguns uma “comédia romântica”, apesar de sabermos que os filmes de Resnais não podem ser rotulados. Na história, um homem (André Dussollier) apaixona-se imediatamente por uma mulher (Sabine Azéma, musa do diretor) no momento em que devolve sua bolsa, que havia sido roubada e que fora encontrada por ele. O homem é casado, mas passa a telefonar e a escrever para a mulher como se ambos tivessem uma relação estabelecida. Por outro lado, os sentimentos da mulher oscilam entre a aproximação e o afastamento do ser desejado.

les_herbes_folles

Coisas do cinema francês e da sua capacidade de transportar para a tela histórias cotidianas e até mesmo recorrentes, e transformá-las em algo maior. Resnais já havia feito isso em “Hiroshima”, fez muitas outras vezes em muitos de seus filmes e o já lendário “Medos Privados em Lugares Públicos”, há mais de 2 anos em cartaz na cidade de São Paulo comprova a contemporaneidade de seus filmes. 

Aqui, este respeitável senhor de 86 anos, mente incrível, e o elenco de seu novo filme após exibição no Festival de Cannes:

Resnais_cannes_2009

Anúncios

1 Response to “Tarantino e Resnais apresentam seus filmes no 8º dia do Festival de Cannes”



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: