32ª Mostra – Crítica: “La Bohème”

Baseada na ópera homônima de Giacomo Puccini, La Bohème conta a história de amor entre Mimi e o poeta Colline. A produção austríaca, a cargo de Robert Dornhelm, tenta parecer com 1830, mas na realidade acaba ficando com aquela cara de coisa muito nova querendo parecer antiga…

Se você não for muito, mas muito fã mesmo de ópera e, mais ainda, de versões de óperas para o cinema, nem insista… 

Avaliação Le Champo: Regular.

                               O dramático amor de Colline e Mimi é exporado em “La Bohème”

Anúncios

1 Response to “32ª Mostra – Crítica: “La Bohème””


  1. 1 Ale segunda-feira, 27, outubro, 08 às 9:30 pm

    É, óperas nem são tão boas mesmo. Principalmente no cinela 😀


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: