32ª Mostra – Crítica: “Como um homem sobre a Terra”

O documentário denuncia a violenta trajetória enfrentada por imigrantes etíopes em busca de melhores condições de vida na Itália.

Dirigido pelo italiano Andrea Segre e prelo etíope Dagmawi Yimer, o filme retrata ainda todo o contexto político que não só permite como incentiva a prática de abusos cometidos contra estes imigrantes. Segundo os diretores, em 2003 o presidente italiano Silvio Berlusconi assinou um acordo com a Líbia concedendo àquele país dinheiro e equipamentos em troca da “contenção” de estrangeiros ilegais no país. 

Os relatos, sobretudo das mulheres, vítimas na maioria das vezes de violência sexual, são tocantes.

O único ponto fraco da sessão de hoje, na Reserva Cultural foi a enorme falha na legendagem para o português, o que garantiu um filme quase todo sem legendas. Teríamos ficado bastante contentes se alguma explicação nos fosse dada!

Avaliação Le Champo: Bom

                                   O diretor do documentário é também um refugiado etíope na Itália

Anúncios

0 Responses to “32ª Mostra – Crítica: “Como um homem sobre a Terra””



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: